10 Dicas para Viajar Muito Barato

Se você muitas vezes deixa de viajar por que acha muito caro, vou te dar 10 dicas para diminuir ao máximo o custo da sua viagem.

E não importa se está viajando sozinho ou acompanhado, essas dicas são aplicáveis para qualquer viajante.

Mas você precisa ter em mente que viajar barato tem seus sacrifícios, mas basta um coração aberto, paciência e um espírito aventureiro.

Então vamos as dicas:

1 – Passagens com conexões

Tenho certeza que você torceu o nariz já na primeira dica. Respira fundo, e deixe me explicar. Na maioria das vezes os vôos com conexões são mais baratos que os vôos diretos. Não estou dizendo que você precisa encarar um milhão de conexões, mas entendo que voo com 1 conexão é aceitável. Por exemplo, um voo para Londres direto é mais caro que um voo para Londres com escala em Paris.

Considero uma boa escolha de voo quando o tempo da conexão é de 2 a 3 horas. Menos que isso você corre um sério risco de perder o próximo voo (o primeiro voo pode atrasar, já aconteceu comigo), e mais tempo do que isso torna tudo muito cansativo.

Na minha opinião, vôos com tempo de conexão de 9 a 12h não são legais. Algumas pessoas acham que esse tempo seria bom para deixar o aeroporto e dar uma volta pela cidade. A verdade é que maioria dos aeroportos são distantes do centro, o que muitas vezes te deixará com apenas 3 a 4h para conhecer o local, além do risco de perder a conexão. Lembre-se que ao sair do aeroporto, você terá que passar na revista pessoal e de bagagem novamente. Outra complicação é onde deixar a bagagem de mão. Alguns aeroportos pelo mundo dispõem de armários (lockers) que você pode alugar para deixar a bagagem, mas outros não tem e você terá que carregar a mala todo tempo com você.

Além dos vôos com conexão serem mais baratos, eles também acumulam mais milhas. Não são em todos os voos com conexão que isso acontece. No Brasil os voos com conexão que fiz não me renderam nenhuma milha, mas todas as vezes que fui para o exterior eu acumulei milhas em todos os trechos.

viajar barato

 

2 – Fazer da conexão um novo destino de graça

Ao invés de querer usar uma conexão de 12h para conhecer a cidade da conexão, porque não ficar na cidade em questão por alguns dias de graça?

Isso se chama stopover. Para se beneficiar disto basta comprar passagem na opção múltiplos destinos ou multi city. Vamos usar Londres como exemplo. Voando de Air France, ao comprar passagem de ida e volta para Londres, provavelmente terá uma conexão em Paris (que é a cidade base da Air France). Então na opção de múltiplos destinos na hora de comprar o bilhete, você pode marcar uma data para Brasil – Londres, outra para Londres – Paris (esse seria o stopover), e uma terceira data Paris – Brasil. Muitas empresas não cobram nada pelo stopover, algumas uma pequena taxa. Mas para stopover é necessário escolher o stopover na cidade base da Cia Aérea, como a Air France em Paris, a KLM em Amsterdam, etc.

Uma outra opção para compra de passagem na opção múltiplos destinos é poder entrar, na Europa por exemplo, por uma cidade e sair por outra. Vamos imaginar que você vai para Londres e terminaria sua viagem em Roma. Ao invés de comprar um bilhete de ida e volta para Londres (e ter que se virar para voltar para Londres), você vai comprar bilhete com ida e volta partindo de cidades diferentes. Se estiver viajando pela Air France, você normalmente teria que fazer uma conexão em Paris, então porque não colocar ida Brasil – Londres, depois Roma – Paris e enfim Paris – Brasil. E você escolhe as datas de cada voo. Poderia escolher o voo Paris -Brasil 5 dias após o voo Roma – Paris, e teria 5 dias para conhecer Paris e isso seria considerado um stopover, sem custo adicional ou custo muito pequeno.

Fiz uma busca aleatória para mostrar como faz para comprar e os valores que encontrei.

Como vocês podem ver, o valor não altera muito, e às vezes é até mais barato.

3 – Compre a passagem área com milhas

Esse é o melhor dos mundos, não pagar diretamente pelas passagens. Mas para comprar passagens com milhas precisa de planejamento.

Primeiro planejamento seria de vida, você precisa otimizar o acúmulo de milhas em seu cartão de crédito e através dos parceiros do programa de fidelidade em questão. Falo pormenorizadamente sobre esse assunto em Dá mesmo pra viajar com milhas?.

Outro planejamento seria de seu período de viagem. Para comprar passagens com milhas, o quanto antes comprar melhor. Quanto mais perto da viagem, maior o número de milhas necessário para trocar pela passagem aérea.

Para compra de passagens com milhas, a opção de múltiplos destinos costuma ficar mais caro que ida-volta, pelo menos todas as vezes que pesquisei foi assim. Se você teve uma experiência diferente, me conta nos cometários.

4 – Voe leve

Com a mudança nas regras de bagagem, para voos nacionais pagamos para despachar a mala. O mesmo acontece com as empresas aéreas low cost nos EUA e na Europa.

rodoviarias-porto-alegre-onibus-passagem-online-dicas-arrumar-malas

É verdade que para os voos internacionais temos a franquia de despachar duas malas de 23kg mais uma mala de bordo. Mas se você vai visitar mais de um país na Europa, por exemplo, como será seu deslocamento entre os países? Se no exemplo que eu dei acima, você comprou o bilhete Brasil -Londres, Roma-Paris e Paris-Brasil, você tem a mesma franquia de bagagem em todos esses voos, mesmo no voo interno Roma-Paris. Mas te pergunto, como você ira de Londres para Roma? Você tem 3 opções, ou vai de trem, ou com empresa aérea low cost, ou aluga um carro. De carro não teria nenhum problema com as malas, o problema é o custo de alugar o carro, pagar estacionamento, etc. No trem não tem um impeditivo de carregar 3 malas com você (até onde eu sei), o ruim mesmo é ter que subir e descer milhões de escadas (isso mesmo, escadarias) nas estações de trem com tanta bagagem. Já as companhias aéreas low cost cobram por cada volume despachado, e não acho barato. Só não paga a bagagem de bordo, desde que dentro das especificações de cada companhia.

Vou colocar aqui os preços para despachar bagagem em duas empresas low cost na Europa.

Custos da Easy Jet.

easyjet

Custos com a Ryanair.

ryanair

Então viajar leve é libertador, você ganha muito mais disposição nos deslocamentos pelas cidades e países visitados, não passa vergonha cheio de trambolho no trem lotado, e não precisa pagar nada a mais ao viajar com low cost.

Falo um pouco sobre que mala levar em cada viagem em Com que mala eu vou?.

5- Hospede-se em um albergue

Muitas pessoas têm preconceito com albergues, acha que só encontrará lá um monte de hippies sujos, kkk. Isso não é verdade, já fiquei em muitos albergues e sempre encontro pessoas normais, como eu e você. Os albergues são tão democráticos que já dividi o quarto com idosos, casais, etc.

Outra dúvida ou receio muito frequente é a questão de dividir o banheiro com várias pessoas. Já fiquei em vários albergues em várias cidades do mundo e nunca encontrei um banheiro sujo. Você pode até encontrar o banheiro molhado, já que quando os seres humanos tomam banho o banheiro fica um pouco molhado, mas só isso. Nunca encontrei banheiro sem papel higiênico. Então esse medo de banheiro sujo é infundado. E caso você tenha a infelicidade de encontrar o banheiro sujo, é só solicitar a limpeza, que eles resolvem imediatamente.

Mas para economizar de verdade, não adianta querer pegar o quarto privativo do albergue. Para viajar barato mesmo, escolha o quarto com o maior número de camas. E eu sempre escolho os quartos mistos, porque observo que as mulheres são muito mais bagunceiras e sem noção que os meninos. Aí você pode me dizer, tá louca, dividir o quarto com 10 pessoas!!! E eu te pergunto, você viaja para conhecer os lugares ou para ficar no quarto do hotel? Quando eu estou viajando, só volto ao hostel à noite já jantada, só para tomar banho e dormir (ou sair novamente). Então o que eu preciso é de banheiro e uma cama limpa. Só isso.

Mas uma coisa é verdade, dormir em um quarto com muitas pessoas você corre o risco de ser acordado quando alguém chega bêbado falando alto e acendendo a luz. Aqui entra o que eu te falei no início, arme-se de paciência e coração aberto. E além disso, leve também uma máscara de dormir e tampões para os ouvidos, rs.

Disse acima que já dividi o quarto com um casal, mas quero deixar claro que dormiam separados, cada um em uma cama do beliche. É importante respeitar os colegas de quarto!

Então minha dica de economizar ao máximo (e é o que eu realmente faço) é ficar em albergue, no quarto mais barato (geralmente é o que tem mais camas) e em quarto misto (se houver).

Mas antes de reservar o albergue mais barato, dê uma olhada nos comentários no Trip Advisor, olhe as fotos dos quartos e do albergue como um todo, e no Google Maps veja como é a rua e as redondezas do hotel, para não se meter em furada.

Falo um pouco mais sobre albergues no post Viajando sozinha: Hotel ou Hostel?

Geralmente reservo albergues diretamente no site do albergue ou através desses buscadores: Hostelworld ou Hostelbookers.

6 – Use o transporte público

Sempre que possível utilize os transportes públicos da cidade. Este é o meio mais barato para se locomover. Pesquise se na cidade tem algum passe para os transportes (tipo Riocard), pois geralmente com esses passes o valor unitário dos bilhetes sai mais em conta.

E eu particularmente prefiro ônibus e trens de superfície ao metro, gosto muito mais de poder ver a cidade!

7- Faça sua própria comida

Uma outra forma de economizar bastante é com comida.

Veja se o albergue tem café da manhã incluído. Muitas vezes o café da manhã oferecido pelos albergues é bem fraquinho, mas é melhor que nada.

Vá ao supermercado e faça compras para fazer seus próprios sanduíches, compre sucos ou que gostar de beber, e leve seu almoço na bolsa. Na Europa é muito, muito comum as pessoas levarem seu almoço e lanches na bolsa e fazerem um piquenique em um local agradável.

Essa história de esperar para comprar algo para comer no local além de mais caro também pode ser uma furada. Aconteceu comigo em Pompéia. Sai cedo de Roma para um bate-volta em Pompéia, não levei nada na bolsa. Chegando lá estava um sol do Saara, só tinha um restaurante vendendo biscoito e pizza requentada, cara e ruim, além de uma fila quilométrica para comprar e outra para pegar. Você não imagina a minha inveja de uns franceses tirando uns super sanduichões da bolsa.

E você também pode cozinhar seu próprio jantar no albergue. Todo albergue tem uma cozinha completa e utensílios que podem ser usados pelos hóspedes. E você pode guardar sua comida na geladeira da cozinha, coloque uma etiqueta com seu nome e pronto. Geralmente ninguém mexe nas coisas dos coleguinhas, e o hostel geralmente tem etiquetas e caneta próximo a geladeira. Mas lembre-se de lavar e limpar tudo que sujar.

ca-hi-san-francisco-downtown-gallery-07
Cozinha do HI San Francisco Downtown.                                                                                    Foto: http://www.hiusa.org/hostels/california/san-francisco/downtown

Assim, comendo café da manhã no albergue, levando seu almoço na bolsa e cozinhando seu jantar você vai economizar muito. Sem contar que ir ao supermercado e usar os produtos locais tornam a viagem muito interessante. Você vai economizar tanto que vai sobrar dinheiro para ir jantar em alguns restaurantes legais durante a viagem.

8 – Comida de rua

Outra dica para economizar com comida é degustar as comidas de rua típicas de onde estiver visitando. Claro que deve dar uma olhada se a barraquinha é limpinha, pesquisar os locais recomendados de comida de rua na internet ou na recepção do hostel. Outra dica é ver se a barraquinha em questão tem fila para comprar comida composta pelos locais, acho que essa é a melhor indicação de que o lugar é bom mesmo.

Não tem como ir à Paris e não comer um crepe delícia de trigo sarraceno feito na hora, ou um currywurst que é salsicha com curry e batatas fritas em Berlim, e a Zapiekanka da Plac Nowy na Cracóvia. Pra mim comer coisas típicas é uma dos pontos mais importantes em uma viagem.

9- Descontos com parceiros do albergue

Antes de fazer algum passeio, veja se o albergue tem algum tipo de parceiro que ofereça desconto para os hóspedes. Isso pode te fazer economizar bastante.

Por exemplo, em San Francisco perguntei na recepção se eles indicavam algum parceiro para aluguel de bicicletas, e eles me deram um voucher que me garantiu 40% de desconto no aluguel da bicicleta por um dia, e por coincidência era a mesma empresa que eu já havia pesquisado na internet. Veja meu Roteiro de bicicleta em SanFran.

Mas fique esperto, alguns passeios esgotam seus tickets meses antes da sua viagem, então para essas atrações não vale a pena esperar para ver se o albergue te oferecerá algum desconto. Por exemplo o passeio para Alcatraz, se você deixar para comprar lá, com certeza você não conhecerá a prisão de Alcatraz em San Francisco. Veja sobre Alcatraz nesse post.

10 – Grupo de compras coletivas

No exterior também existe o Groupon e outros sites de compra coletiva que podem te garantir bons descontos para restaurantes e passeios.

Vale a pena se cadastrar em alguns sites de compra coletiva do seu destino e ficar de olho nas promoções. Sempre tem desconto em passeio de barco, por exemplo, que eu acho imprescindível em qualquer cidade.

Sena river
Cara de pastel passeando pelo rio Sena – Paris

Mas tenha cuidado, da mesma forma que tem golpistas aqui, também existem em qualquer lugar do mundo. Então só se cadastre em sites confiáveis.

Você tem alguma dica para economizar em viagens? Compartilha aí comigo nos comentários.

 

Anúncios

46 comentários

  1. Oba, já vi que sigo o caminho correto. Pra Europa agora em dezembro vou fazer dois stopovers, tanto na ida quanto na volta, o segredo é ir de Air France e voltar de KLM. Serão três países pelo preço de um. Ainda não fiquei em Albergue, mas já estou pensando na possibilidade para Nova York em maio! Será que eu acho algo lá? Beijos e obrigada!

    Curtido por 1 pessoa

  2. Sabrina, adorei o post! Sigo algumas de suas dicas, com exceção da hospedagem, como sempre viajo com grupo de, no mínimo quatro pessoas, quartos quádruplos em hotéis ou aparts são as minhas opções. Quanto à compra de passagens com milhas, até ano passado o Smiles permitia stopover, mas retirou essa mamata. É possível, contudo, adquirir trechos entrando por uma cidade e voltando por outra. Por exemplo, fui de milhas para Europa fazendo Brasil/Portugal e França/Brasil. Basta comprar os trechos separados. No meu caso, o número de milhas da passagem ida/volta e dos dois trechos separados era o mesmo! É sempre bom poder trocar experiências de viagens com você. Beijo grande.

    Curtido por 1 pessoa

  3. Excelentes dicas!! Conheço muita gente que acha que só porque a pessoa foi a Europa, gastou o dinheiro de um carro. Elas deveriam ler seu post. É possível sim economizar em viagens. E vale à pena, até pq quanto mais se economiza, mais sobre dinheiro para se viajar mais!!

    Curtido por 1 pessoa

  4. Quando vi seu post, achei que seria mais do mesmo,mas claro que vindo de vc, jamais seria. Adorei a dica dos groupons internacionais! Também gosto de fazer a própria comida e viajo muuuito com milhas!!

    Curtido por 1 pessoa

  5. Sabrina, com exceção do Voe Leve, que nunca rola, levamos trocentas coisas, haha, já fizemos todas! Nós gostamos MUITO de passear e fazer coisas diferentes, tipo pular de parapente ou fazer algum esporte como rafting, e essas coisas são meio caras. Então sempre precisamos economizar em algumas coisas… como hoteis, por exemplo. Tua lista é muito boa, obrigado por compartilhar!

    Curtido por 1 pessoa

  6. Adoro esse tipo de dicas. Eu poderia complementar de que as vezes comprar passagens com conexoes sai bem caro para a sua saude, alem de comer o seu tempo precioso de viagem. Mas a sugestao de usar a conexao como parada para conhecer o lugar, é muito atraente. De todas as dicas, a que eu desconhecia, era o Groupon. Caramba! Estou comendo mosca.. kkkk… nunca procurei esse tipo de site para tentar baratear a minha alimentacao la fora. Amei saber disso!

    Curtido por 1 pessoa

  7. Sabrina seu post é aquele necessário para um viajante, eu por exemplo não conhecia alguns, vou começar aplica-los. Ah também não tive experiência de ficar em albergue, boa dica par quem procura economizar como eu. Vou salvar aqui. Obrigada por compartilhar com a gte. Dicas essenciais bjs

    Curtido por 1 pessoa

  8. Adorei as dicas e achei bem bacana para quem acha que para viajar precisa ter “rios”de dinheiro. Ainda não tive experiência de hospedagem em Alburgue/ hostel, mas o que fazemos é buscar hotel/ Pousada x AirBnb que já dá para dar uma econimizada

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s